Assim Morreram os Ricos e Famosos - Michael Largo



Assim Morreram os Ricos e Famosos, de Michael Largo, foi publicado pela Editora Larousse em 2008 (366 páginas), com tradução de Clara Allain.

A morte ainda é, para muitos, um tabu. Fala-se pouco sobre o tema, sob o pretexto de que não se quer atraí-la. No entanto, há também aqueles que são fascinados pelo tema. Por curiosidade, medo ou mera especulação, algumas pessoas querem saber sobre a causa da morte de grandes personalidades da história. Eis então que Michael Largo, que tanto estuda os obituários americanos, lançou um livro com esse mote.

O livro objeto da resenha traz curtos textos que contam ao leitor como foi a morte de ricos e famosos (como alude o título da publicação).

No prólogo o autor revela: “Ao escrever estas linhas, optei por rever as vidas de pessoas eminentes, ilustres e lendárias sob a óptica da causa de sua morte. Os resumos biográficos tradicionais costumam terminar por aí, e raramente explicam o como e o porquê do falecimento da pessoa.”

Tendo por base o fato de que são apresentados casos de pessoas conhecidas, decerto que o livro também fará a desconstrução dessas personalidades que são tão somente dimensionadas pela sua fama. O que enseja que o leitor poderá perceber que as adversidades a que estamos submetidos também abala essas pessoas que, muitas vezes, ganham ares de seres mitológicos, atraindo o olhar de outros pelo dinheiro e o glamour que exalam.

Outrossim, vale dizer ainda que a história não se faz apenas com os fatos narrados enquanto a pessoa esteve viva. Muitos rumos da história se modificaram a partir da morte de determinadas pessoas. E como expressa o próprio autor: “desde o frívolo até o sublime, folheie este livro e veja a morte como conclusão, realização e culminação”.

O leitor vai se deparar com casos de mortes curiosas, como aconteceu com Clarence Birdseye que vendeu o conceito de alimento congelado e morreu de pneumonia; Gail Borden que deu origem aos alimentos enlatados e morreu de intoxicação gastrointestinal e teve o corpo embalado numa lata antes de ser enterrado. Curioso esses casos? Sim, mas não pára por aí.

Um poeta chinês morreu afogado ao tentar abraçar a lua cheia refletida num lago. Seria uma imagem bastante forte do poeta em busca de sua inspiração, se fosse na ficção. Pode não parecer, mas é verídico. Marie Curie, a primeira mulher a receber um Prêmio Nobel, o de Física, morreu em decorrência da exposição à radiação, contato que teve em função de suas pesquisas. Ou seja, para que alcançasse seu objetivo, acabou por ser exposta à morte. Até o inventor da goma de mascar teve uma morte curiosa, faleceu por conta de uma asfixia provocada por uma bala de chiclete que se prendeu em sua garganta. Outra, entre tantas curiosidades, é o caso de Joseph Glidden, inventor do arame farpado (produto que causa ferimentos em muitas pessoas) e que morreu justamente por uma infecção de um corte não tratado.

Além de mortes, digamos curiosas, como as que foram citadas, o livro fala da morte de escritores como F. Scott Fitzgerald, autor do livro O Grande Gatsby; William Faulkner; Ernest Hemingway, autor de O Velho e o Mar; Jack Kerouac que morreu de hemorragia aos quarenta e sete anos; Sinclair Louis, que foi o primeiro americano a receber o Nobel de Literatura.

Margaret Mitchell, que é a escritora de ...E o Vento Levou, morreu em decorrência de ferimentos internos provocados por um atropelamento. Foi atropelada por um táxi. Bóris Pasternak, autor do livro Doutor Jivago, faleceu vitimado por um câncer. Há ainda menção de escritores que faleceram por suicídio, como é o caso de Sylvia Plath, autora de A Redoma de Vidro. Para quem gosta de literatura, vai encontrar a causa da morte de vários escritores disponíveis nas páginas do livro publicado pela Larousse.

O livro de Michael Largo traz ainda rol de mortos por overdose, músicos assassinados, músicos mortos em desastres aéreos, presidentes americanos, inventores, dramaturgos e artistas da televisão e cinemas americano. Mitos, por assim dizer, também são lembrados no obituário elaborado pelo autor, como Platão, Ramsés II, Tutankhamon, Nefertiti e outros mais.

As personalidades abordadas no livro são apresentadas em ordem alfabética pelo sobrenome, mas há exceções que visam a dar destaque pelo nome com que a figuras eram mais conhecidas, por exemplo, Joana D’Arc.

Não nos resta outro adjetivo para definir o livro que não seja: curioso. Não importa qual seja a nossa condição social, cor, credo, religião, etc, etc, etc. O fim é certo. Ricos e “poderosos” também morrem e alguns de jeito bastante inusitado, como alguns dos casos que mencionei com o propósito de ilustrar a resenha da obra lida.

Assim Morreram os Ricos e Famosos tem uma série de necrológios, alguns inacreditáveis, outros tantos ultrajantes. As informações foram pesquisadas pelo autor em obituários publicados na época da morte das personalidades mencionadas no livro, em documentos oficiais e também em provas forenses.

Foto: Reprodução
Sobre o autor:

Michael Largo coleta informações e estatísticas sobre o modo americano de morte há mais de uma década. Ele é também autor de Exists: The Illustrated Encyclopedia of How We Die (Últimas Saídas: Enciclopédia Ilustrada das Formas de Morte) e tem autoria de três romances.

Ficha Técnica

Título: Assim Morreram os Ricos e Famosos
Escritor: Michael Largo
Editora: Larousse
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-7635-283-9
Número de Páginas: 366
Ano: 2008
Assunto: Biografias coletivas
Assim Morreram os Ricos e Famosos - Michael Largo Assim Morreram os Ricos e Famosos - Michael Largo Reviewed by Tomo Literário on 15:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui seu comentário.

Tecnologia do Blogger.