A Menina Submersa - Caitlín R.Kiernan

““Vou escrever uma história de fantasmas agora”, ela datilografou.
“Uma história de fantasmas com uma sereia e um lobo”, datilografou mais uma vez.
Eu também datilografei.”

India Morgan Phelps, ou simplesmente Imp é a protagonista do livro “A Menina Submersa”, da escritora Caitlín R. Kiernan, publicado pela Editora Darkside em 2014. Imp vai conduzir o livro e nos contar histórias sobre fantasmas. Ela é filha de Rosemary Anne, que morreu quando a garota tinha 17 anos. Faleceu num hospital para loucos. Tanto a mãe quanto a vó de Imp sofriam de esquizofrenia e ela também carrega tal transtorno.

India encontra-se com Abalyn, uma transexual que estava sendo despejada e a leva para sua casa. As duas começam um relacionamento. Abalyn sobrevive de escrever resenhas de jogos de videogame e, por ter passado pela transformação de seu corpo, evitava trabalho num local convencional.

Em certo momento a escritora Imp se depara com uma mulher chamada Eva Canning. A partir desse encontro ela começa a ter sonhos estranhos, que a incomodam, e ela também passa a escrever sobre seus sonhos para tentar descortinar o que a aflige. Eva Canning é misteriosa e aparece para Imp em Julho e Novembro. Ela nos conta isso.

O desconhecido causa medo, como escreve Imp num dos capítulos: “O que mais tememos não é o conhecido. O conhecido, por mais horrível ou prejudicial à existência, é algo que podemos compreender. Sempre podemos reagir ao conhecido. Podemos traçar planos contra ele. Podemos aprender suas fraquezas e derrotá-lo. Podemos nos recuperar de seus ataques. Uma coisa tão simples quando uma bala poderia ser suficiente. Mas o desconhecido desliza através de nossos dedos, tão insubstancial quanto o nevoeiro.”

A protagonista lida o tempo todo com o desconhecido que a ronda. O contato com o quadro “A Menina Submersa” também parece de certo modo causar tormento e desconforto em Imp. A pintura foi feia por um artista depois de uma visita ao rio Blackstone. Nesse rio um evento misterioso havia acontecido. O primeiro contato que Imp tivera com o quadro foi durante a visita ao museu, aos onze anos de idade, acompanhada de sua mãe. O quadro passou a fazer parte de sua história, como a própria personagem relata.


A história de fantasmas com sereias e lobos vai tomando forma através das memórias de Imp. Convém frisarmos que não são memórias apresentadas de modo cronologicamente linear. A narrativa reflete os pensamentos desconexos, confusos e dúbios que a protagonista tem. Afinal, Imp tenta descobrir e entender o que a atormenta enquanto escreve suas histórias. Os remédios controlam sua esquizofrenia.

“Não tenha medo de mim. Não pode ver ainda, mas vim tirar você do lugar escuro onde sempre ficou...”

O livro funde fantasia com realidade, imaginação com fatos ocorridos. Trata da relação de Imp consigo mesma e com as pessoas que a cercam (em pensamento ou em corpo presente). As memórias são inexatas e imprecisas, mas dão o tom necessário a fantasia, que parece ficar ainda mais aguçada por esse motivo, porque não conclui o que pode ser ilusão ou o que é de fato real. Tentamos imaginar o que aqueles relatos realmente significarão mais adiante na leitura, se são apenas devaneios de Imp, se trata-se de sua esquizofrenia ou se são parte de sua criação literária.

Deixe-se mergulhar no pensamento da personagem. Boa leitura!

Ficha Técnica
Título: A Menina Submersa
Escritor: Caitlín R. Kiernan
Editora: Darkside
ISBN: 978-85-66636-53-6
Edição: 1ª
Número de Páginas: 320
Ano: 2014
Assunto: Literatura americana

Um comentário:

  1. Sou suspeito, mas acho esse livro maravilhoso! Um dos meus favoritos que foram publicados pela DarkSide Books ♥
    Adorei tua resenha!
    Abraços
    Blog do Ben Oliveira

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.