O Mordomo da Casa Branca - Wil Haygood

“Uma vida vivida dentro da Casa Branca durante a Guerra da Coreia, a Guerra Fria, os distúrbios acontecidos na cidade de Little Rock, Arkansas, a militância de Rosa Parks, a crise dos mísseis cubanos, a chegada à Lua, o episódio da Integração em Ole Miss, o Vietnã, os assassinatos de Medgar Evers, Martin Luther King Jr., Malcom X e dos irmãos Kennedy (...) Sem contar Watergate (...) e o surgimento de George Wallace e Barry Goldwater, dois homens ligados a movimentos políticos que aterrorizavam os negros.”

Eugene Allen foi mordomo de oito presidentes americanos, atuando num dos endereços mais famosos do mundo. Foram 34 anos de trabalho dedicados à prestação de serviços em Washington D.C., na Avenida Pensilvânia, 1600. Endereço da Casa Branca.

Wil Haygood, autor do livro, cobria as eleições para a presidência dos Estados Unidos. O candidato era o então senador Barack Obama. Vislumbrando a possibilidade de que o país viesse a ter o primeiro presidente negro de sua história, o que era bastante significativo para a história da luta pelos direitos dos negros americanos (e também no mundo), ele sugeriu ao editor do Washington Post uma pauta com alguém que tivesse passado pela época da segregação racial para “escrever sobre o que esse ainda futuro evento importante na história da América significaria para tal pessoa.”

O jornalista queria, mais especificamente, alguém que tivesse vivido dentro da Casa Branca. Depois de algumas tentativas frustradas, chegou ao nome de Eugene Allen, o mordomo. E ele virou o personagem central de um artigo publicado no jornal. “Um mordomo bem servido por essa eleição”, capa do Washington Post em 07 de novembro de 2008, inspirou a história do filme. Eugene e sua esposa Helene, eram admiradores daquele que se tornou o primeiro presidente negro dos Estados Unidos, Barack Obama. Eugene, tão perto do poder, viveu todas as restrições impostas pela segregação racial.

O livro conta a história (os bastidores) do jornalista e Eugene, ou seja, da história real que serviu de inspiração para o filme de mesmo nome que teve Forest Whitaker e Oprah Winfrey no elenco. O filme relata a luta pelos direitos civis, sob a ótica de um mordomo da Casa Branca. O referido mordomo foi inspirado no verdadeiro Eugene Allen. Atuaram ainda no filme: Jane Fonda, Robin Willians, Vanessa Redgrave, Mariah Carey e Cuba Gooding Jr.

Na parte do livro, intitulada de “Imagem em Movimento” será possível ao leitor ler a história de negros no cinema americano e o que acontecia com a sociedade americana em relação as questões raciais. Cinco dos presidentes para os quais Eugene trabalhou são abordados no cinema, e no livro conta-se um pouco sobre os bastidores, os entraves encontrados e o engajamento dos atores para ter um filme que retrata a questão racial.
 
Foto: cena do filme
O livro, publicado pela Editora Novo Século, em 2013, foi best-seller do The New York Times. Trata dos bastidores da reportagem e do filme, e fala de Eugene, no entanto, de maneira mais superficial do que esperaria. Isso, contudo, não é nenhum demérito ao livro, porque Eugene está retratado, conta-se o que ocorreu para a inspiração do filme e sua produção, bem como não são deixados de lado diversos eventos que são representativos da luta pelos direitos civis nos Estados Unidos.

“O Mordomo da Casa Branca”, desperta a atenção para a questão racial e aguça a imaginação sobre esse singular personagem que viveu de perto muitas das questões políticas envolvendo seu povo. 

Sobre o autor
Wil Haygood é escritor premiado do Washington Post. Escreveu cinco livros de não ficção, entre eles a biografia de Adam Clayton Powell Jr., Sammy Davis Jr. e Sugar Ray Robinson. Foi produtor associado do filme “O Mordomo da Casa Branca”.

Ficha Técnica
Título: O Mordomo da Casa Branca
Escritor: Wil Haygood
Editora: Novo Século
ISBN978-85-4280-121-7
Edição: 1ª
Número de Páginas: 138
Ano: 2013
Assunto: Direitos civis


Um comentário:

  1. Esse filme é incrível! Não sabia que existia um livro da história, gostei da resenha :)

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.