O Homem de Lata – Sara Winman



O Homem de Lata, livro de Sara Winman, foi publicado no Brasil pela Faro Editorial em  2018 (1ª edição, 156 páginas), com tradução de Elvira Serapicos. Trata-se do romance de estreia da escritora inglesa, que também é atriz. A obra tornou-se um bestseller internacional e ganhou prêmios, incluindo New Writer of the Year no Galaxy National Books Awards.

A obra tem início no ano de 1950, quando Dora Judd ganha um quadro numa rifa, três semanas antes do Natal. Um quadro de girassóis (reprodução de Os Girassóis, de Van Gogh), que ela defendeu com afinco quando o marido Leonard Judd entrou pela porta e foi em direção ao quadro na parede. Ele havia ficado indignado com ela por não ter escolhido uma garrafa de uísque em vez da imagem. Essa introdução da história nos dá uma visão da família de Ellis, da força usada pelo seu pai, dos sonhos da mãe e da grandiosidade de uma obra de arte que vai aparecer em vários momentos na história. Não só está, mas outras referências artísticas sobre literatura, música e artes plásticas são citadas.

Adentramos o ano de 1996, a partir do qual as lembranças vão trazendo à tona a história de pessoas que estão numa foto, “uma mulher e dois homens. Estão rigidamente enquadrados, os braços em torno um do outro; o mundo atrás deles está fora de foco, e o mundo de cada lado, excluído. Parecem felizes, e de fato estão.” Esse trecho, especificamente, reproduz muito bem o significado da relação entre as pessoas da foto e sua posição diante da vida.

Ellis Judd e Michael eram dois garotos de doze anos de idade e criaram um laço de amizade muito forte. Em Oxford, cidade na qual cresceram, os dois aprenderam muitas coisas juntos. Uma amizade que foi aos poucos revelando a existência de um sentimento maior entre os dois. Algo mais que uma forte amizade tomava o coração dos personagens.

Juntos eles aprenderam a nadar, trocaram informações sobre autores e livros, ouviram músicas que ainda pairam na memória dos dois (mesmo quando adultos) e passaram por momentos difíceis ao lado de seus pais. Ellis, que sofrera a perda da mãe (aquela que ganhara o quadro) em decorrência de uma terrível doença, passa por situações vexatórias e pela dominação de seu pai. O garoto, atendendo ao pedido da mãe, queria manter o sonho de se tornar um grande artista, continuar pintando e desenhando, como fazia. No entanto, o pai, com pulso firme e certa frieza, planejara algo diferente para o filho.

O leitor acompanha a história dos dois personagens: Ellis e Michael e de uma terceira que aparece na trama: Annie. Ela chega na vida de Ellis e se casa com ele. Vivem os dois num período em que Michael já não está por perto, que o leitor vai compreender na medida em que a história avança, na segunda etapa do livro.



Numa narrativa que encanta, Sarah traz à sua história personagens de grande expressão, com personalidades que apresentam ares críveis. Aborda o despertar de sentimentos que há entre Ellis e Michael e o rumo diferente que suas vidas tomam, ainda que, de certa forma, um resida na memória do outro. No campo dos sentimentos a autora aborda a dor da perda, que se demonstra em algumas passagens emocionantes do livro, fala sobre o misto de sentimentos que se confundem e que se emaranham nas relações, trata de modo particular o alastramento de uma doença na década de 1980, fala de afeto que transcende, de falta de tato, toca em questões familiares e passa pelas lembranças.

“... o fato de ele não lembrar não apagava o passado. Todos aqueles momentos preciosos ainda estavam em algum lugar.”

Na primeira parte do livro, em 1996, vemos a história centrar-se em Ellis. Demonstra, portanto, acontecimentos vividos por esse personagem. Ele é mais introspectivo e com ele os sentimentos são mais conflitantes, uma pessoa mais complexa de se entender. Já na segunda parte do livro temos o foco da trama no personagem Michael, em 1989, com quase quarenta anos. Michael parece mais despojado, mais ciente de seus desejos, mais decidido em relação a viver a sua vida do modo que lhe parece correto, transparente em seus anseios e sentimentos.

No que refere-se ao tempo vamos ainda passar pelo mês de junho de 1990 e novembro daquele ano e depois retomar ao ano de 1996. Ao longo da história, quando tomamos conhecimento do que acontece com os personagens, vem logo na mente a questão: o que teria acontecido se tivessem vivido aquilo tudo de maneira diferente?


Vale mencionar que a narrativa de Sarah Winman entremeia o tempo atual vivido pelos personagens com o tempo pretérito, em que suas memórias nos contam a história que viveram e formam a ligação com os acontecimentos atuais.

O Homem de Lata é um livro profundamente tocante, que nos emociona na relação construída por Annie, Michael e Ellis, e em função dos acontecimentos pelos quais eles passam. Há na vida dos três questões que revelam aprendizado, renovação de laços, rompimento de barreiras e limitadores, e imenso afeto.

“Olho para esses jovens, não com inveja, mas com admiração. Está nas mãos deles agora a beleza da descoberta; a infinita paisagem lunar da vida que se descortina.”

A sinopse do livro diz que “esta é quase uma história de amor. Mas seria muito simples defini-la assim”. Ao concluir a leitura da obra temos a visão da extensão desse trecho do texto. Sim. De fato o livro é mais, mais tocante, profundo, emocionante. Quando conclui a leitura, não me veio outra definição que não fosse: um livro para ser lido e sentido. Ele vai além do amor. Nos emociona, nos abala, nos toca e nos faz refletir, pois as questões que estão ali retratadas estão no campo do intangível que é a vida.
 
Sarah Winman | Foto: Reprodução
Sobre o autor

Sarah Winman nasceu em 1964 na Inglatera e é escritora e atriz. O Homem de Lata, seu romance de estreia, tornou-se best-seller internacional e ganhou vários prêmios.

Ficha Técnica

Título: O Homem de Lata
Escritor: Sarah Winman
Editora: Faro Editorial
Edição: 1ª
ISBN: 978-9581-011-2
Número de Páginas: 156
Ano: 2018
Assunto: Ficção inglesa

O Homem de Lata – Sara Winman O Homem de Lata – Sara Winman Reviewed by Tomo Literário on 14:13 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui seu comentário.

Tecnologia do Blogger.