O Assassino do Zodíaco – Sam Wilson



Peter Williams, chefe de polícia, foi assassinado. O corpo do homem foi encontrado por Rachel Wells, que faria um trabalho na casa do policial, por meio da empresa Serviço Expresso. Ao ligar para a polícia avisando da descoberta que fizera, ela percebera a presença de alguém no interior da casa. Rachel tenta fugir, mas acaba sendo sequestrada.

“A atendente da emergência talvez ainda estivesse na linha, falando para o celular caído no chão. Não havia ninguém para socorrê-la.”

Entra em cena o detetive Jerome Burton, encarregado de investigar a ocorrência dos crimes. Para isso ele se alia a Lind Childs, uma astróloga forense especializada em montar perfis criminais. A priori ela não aceitaria seu convite, mas ao saber quem era o morto, decidiu topar a empreitada, mesmo com os pontos obscuros que foi capaz de observar no mapa astrológico de Burton.

O Assassino do Zodíaco, livro de Sam Wilson, foi publicado pela Editora Jangada (Grupo Editorial Pensamento) em 2018 (1ª edição, 463 páginas). A obra foi traduzida por Gilson César Cardoso de Sousa.

A história segue o paralelismo entre a busca de Jerome e Lind pelo assassino e a história de Daniel Lapton, que procura por sua filha desaparecida.            

A trama criada por San Wilson se passa em San Celeste, um lugar apresentado pelo autor em nota que está presente no início do livro como: “uma nova versão da América dividida por signos astrológicos em vez de raça ou religião.”

É exatamente isso o que acontece. As pessoas assumem determinada posição na sociedade de acordo com o seu signo de nascimento. Não se aborda a raça ou a religião explicitamente, no entanto, o autor consegue trabalhar com perspicácia a questão do preconceito e da discriminação, pautada pela pecha que é imposta a cada um de acordo com sua visão astrológica. Apresenta, portanto, uma sociedade que carrega intolerância e que segrega de acordo com o signo.


O ser humano tenta se sobrepor aos demais quando o identifica como aquele que é tachado de inferior. Isso ocorre ao longo da trama e vai ser claramente perceptível ao leitor, tanto por meio das descrições das cenas, quanto o que é dito pelos personagens nos diálogos que travam. E ainda há aqueles que de algum modo tentam manipular os outros ou ainda esconder o seu signo verdadeiro para não ser colocado numa classificação social que não lhe permita obter êxito em suas atividades.

Burton e Lindi são personagens com posições políticas e astrológicas diferentes, o que garante uma relação conturbada e que se baseia nas diferenças. Novos crimes acontecem ao longo da história, trazendo também fatos novos aos leitores e  apresentando outras camadas na história que vão apontando quem pratica os assassinatos, bem como a motivação de tais feitos. Acompanhamos com atenção cada detalhe que nos é narrado.

É uma história interessante e bem estruturada por seu autor. Um romance policial que nos faz também pensarmos sobre o sistema daquela sociedade e como as pessoas agem e interagem dentro desse sistema. De modo natural – quase automático – passamos a refletir sobre como metaforicamente essa divisão representa o que acontece na vida real.

Não faltam na trama questões sombrias que provocam o leitor, crimes chocantes e fortes, cenas densas, além de relações conturbadas, conflitos, manipulações e jogo de interesses, suspense, redescobertas dos personagens e a caçada implacável contra o assassino do zodíaco, envolto em mistério.


O preconceito e a intolerância entram em cena quando se observa o pré-julgamento acerca de determinados personagens por serem do signo A ou B, ou ainda quando pessoas são detidas por se pressupor que indivíduos do signo Y são propensos a determinadas práticas. Reflexo de uma sociedade real que segrega por raça, cor, sexo, condição social.

Os personagens criados por Sam Wilson são demasiadamente humanos. Eles tem problemas, tem características bem definidas, mas também sofrem mudanças à medida que a história avança. Mesmo os personagens secundários apresentam-se bem definidos na narrativa. O processo de descoberta de cada um deles vai nos conduzindo ainda mais fundo no texto.

O Assassino do Zodíaco é um ótimo thriller policial. É impactante e tem um olhar crítico sobre a sociedade, nos levando a uma profunda reflexão sobre os tempos atuais, sobre o racismo, o  preconceito e sobre o ser humano (de modo amplo).

Foto: Reprodução
Sobre o autor

Sam Wilson nasceu em Londres e foi para Zimbábue ainda criança, estabelecendo-se depois na África do Sul. Em 2011, foi considerado um dos “Duzentos Jovens Sul-Africanos de Maior Destaque” e hoje trabalha como diretor de TV na Cidade do Cabo. O Assassino do Zodíaco é o seu primeiro romance.

Ficha Técnica

Título: O Assassino do Zodíaco
Escritor: Sam Wilson
Editora: Jangada
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-5539-100-2
Número de Páginas: 463
Ano: 2018
Assunto: Ficção policial

O Assassino do Zodíaco – Sam Wilson O Assassino do Zodíaco – Sam Wilson Reviewed by Tomo Literário on 15:03 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui seu comentário.

Tecnologia do Blogger.