Mitologia Nórdica – Neil Gaiman



Mitologia Nórdica, de Neil Gaiman, foi publicado no Brasil em 2017 pela Editora Intrínseca, com tradução realizada por Edmundo Barreiros.

A mitologia é um assunto que desperta interesse em vários leitores. A mitologia retratada no livro (a nórdica) tomou conta dos países da Escandinávia por volta dos séculos VIII e IX. A saber envolve a Suécia, Noruega, Finlândia, Islândia e Dinamarca. Como outras mitologias, ela foi de fundamental importância para a constituição da cultura no passado desses povos, o que se reflete até os dias atuais em filmes, séries, livros e outros meios.

Entre tantos mitos que são difundidos ao longo do tempo, como a mitologia grega, a romana, a egípcia, a celta e outras, a mitologia nórdica, é para o autor, a que mais o atrai. Daí o fato de construir então o seu livro, contando sobre mitos nórdicos por meio de contos. E, sem dúvida, os mitos nórdicos tem influência no trabalho de Neil Gaiman como escritor, como se pode constatar em Sandman, Filhos de Anansi e Deuses Americanos.

Os quadrinhos, possivelmente, tenham sido o primeiro contato de muitos de nós com a referida mitologia. Veja-se as histórias de Thor e seu martelo, publicadas pela Marvel e que, depois, levou o herói para as telonas. Com Gaiman não foi diferente. Na abertura do livro o autor diz que tal foi o seu primeiro contato com a mitologia nórdica.

Gaiman reconta mitos nórdicos ao longo de 286 páginas, mantendo o seu estilo. Nos deparamos com uma série de deuses que fazem parte das histórias, e que aqui são apresentados na visão do autor: Odin, Thor, Loki, Freya, por exemplo, são deuses que aparecem na obra.

“Eu me empenhei ao máximo para manter os mitos o mais próximo possível do original, e para recontá-los da forma mais interessante que consegui.” – Relata Neil Gaiman na apresentação do livro.

Odin é o mais poderoso e também o mais velho. Odin recebe vários nomes. “É o Pai de Todos, o Senhor dos Mortos, o deus da forca. É o deus das cargas e dos prisioneiros. É chamado de Grímnir e de Terceiro. Recebe um nome diferente em cada país...” Thor é filho de Odin e considerado aquele que forja trovões. É de longe o mais forte dos deuses. Força esta que é aumentada pelo uso de seu cinturão, Megingjord. Forjado pelos anões, Thor empunha sua arma, o martelo Mjölnir. Loki é descrito como bonito, sensato, simpático, convincente e  “o mais astuto de todos os habitantes de Asgard”. No entanto, Loki também tem raiva, inveja e cobiça. Filho de Laufey ele é “o Pai de Monstros, o autor dos infortúnios, o deus da trapaça”. Esses três personagens são os que mais ganham destaque nos contos presentes na obra.

Gaiman inicia o livro falando sobre a sua admiração pela mitologia nórdica e depois segue para os contos propriamente ditos. Ao todo são quinze as histórias que compõe o livro: Antes do princípio e o que veio depois; A Yggdrasill e os nove mundos; A cabeça de Mímir e o olho de Odin; Os tesouros dos deuses; O mestre construtor; Os filhos de Loki; O casamento incomum de Freya; O Hydromel da poesia; Thor na terra dos gigantes; As maçãs da imortalidade; A história de Gerda e Frey; A pescaria de Hymir e Thor; A morte de Balder; e Os últimos dias de Loki e Ragnarök: o destino final dos deuses.

Note-se que os contos tratam desde a origem do mundo, passando pelas relações entre os deuses e gigantes, chegando ao Ragnarök, o fim do mundo.

Na edição publicada pela Intrínseca, em capa dura e com um trabalho gráfico de qualidade, temos contos que são um prato cheio para quem gosta de fantasia. A mitologia que busca explicar origem de coisas com as quais lidamos no dia a dia, traz grandes heróis, histórias épicas e realizações de grandes feitos.

A criação do mundo (Antes do princípio e o que veio depois), a origem dos terremotos (Os últimos dias de Loki) e até a origem da poesia (O Hidromel da poesia) são exemplos de histórias mitológicas que são utilizadas para dar explicação e sentido à existência de certas coisas que estão no nosso mundo.

A maneira como Gaiman conta as histórias traz tragédias, reflexões e até comicidade em algumas passagens. Apesar de os contos terem uma linearidade temporal, percorrendo do início do mundo até o seu fim, eles podem ser lidos em qualquer ordem, sem prejuízo de entendimento.

No final da obra tem um glossário que ajuda o leitor a se aproximar ainda mais do universo mitológico nórdico citando deuses, anões, lobos, elfos, acessórios, armas, gigantes, navegações e outras coisas mais que fazem parte do tema.

São quinze histórias fascinantes que merecem ser lidas e relidas.

Foto: Reprodução
Sobre o autor

Neil Gaiman descobriu seu amor pelos livros na infância e devorava as histórias de C. S. Lewis, J. R. R. Tolkien, James Branch Cabell e Edgar Allan Poe, entre outros nomes, e hoje é considerado um dos dez maiores escritores pós-modernos vivos. Tem mais de vinte títulos publicados e já foi agraciado com inúmeros prêmios literários. Começou a carreira como jornalista, mas logo seu talento para construir tramas e universos únicos foi levado para o mundo dos quadrinhos, com a aclamada série Sandman, e, depois, para a ficção, publicado obras memoráveis como Deuses Americanos. Algumas de suas obras foram adaptadas para o cinema e para a televisão. Nasceu em Hampshire, Inglaterra, e hoje mora nos Estados Unidos.

Ficha Técnica

Título: Mitologia Nórdica
Escritor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-510-0128-8
Número de Páginas: 286
Ano: 2017
Assunto: Mitologia / contos
Mitologia Nórdica – Neil Gaiman Mitologia Nórdica – Neil Gaiman Reviewed by Tomo Literário on 11:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Deixe aqui seu comentário.

Tecnologia do Blogger.