Mudança de Rota - Jardel Amaral

Mudança de Rota, escrito por Jardel Amaral foi publicado pela Editora Autografia em 2015.

"_ Isso é um sequestro! Somos da Vanguarda Libertadora Popular. Todos de mãos na cabeça e quietos. Não tentem nenhuma besteira, porque não queremos lhes fazer mal. Mas se forem hostis, serão mortos!"

Um país da América do Sul que vive sob regime ditatorial. Um grupo de guerrilheiros tomam um avião em sequestro. O objetivo é a libertação de quarenta companheiros de luta e o pedido de asilo político num país amigável. O grupo de seqüestradores é formado por Lúcia, seu marido Caetano, além de Pedro e Tadeu.

Entre a tripulação refém está José Ribamar, um comissário de bordo. Questionador, ele dá uma dica sobre o asilo político e cria empatia com Lúcia. Isso pode coloca-lo numa situação de aparente privilégio ou de extrema insegurança. Ribamar é destacado pelo grupo para servir de mediador na negociação com os militares, quando do pouso do avião com os reféns retidos. Sendo negociador fica, inclusive, mais próximo aos sequestradores do que aos reféns, o que causa estranheza ao grupo.

Ribamar será o interlocutor dos guerrilheiros, levando ao Coronel Lemos as exigências dos sequestradores e atuando junto aos membros com informações deflagradas pelo militar. Em conversas com Lúcia, que lidera os integrantes da VPL, ele vai conhecendo mais sobre a mulher e sua posição política, além de suscitar dúvidas nela a partir de seus questionamentos. Um laço afetivo de amizade se instala.

José  Ribamar desenvolve um quadro muito próximo da Síndrome de Estocolmo. Ali, no avião, questiona a visão sonhadora da revolucionária, mas também tenta se render ao apreço dos militares que buscam resgatar as vitimas e por fim ao sequestro. Tudo o que ele quer é sair vivo e ileso da situação.

O sequestro mexe com os reféns e com os sequestradores. A partir dali a vida de todos se transformam. Por ser um período ditatorial, logicamente a força bruta, a violência e a tortura serão empregadas por quem defende governo instaurado no país.

Num lapso temporal de quarenta anos, dois personagens se reencontram e reconstroem uma nova vida.

Mudança de Rota é um livro que trata de lutas por ideologismos, mas também ou sobretudo, de relações humanas. O sequestrador afetado pelo sequestrado e vice-versa, a ideologia se sobrepondo a preservação da vida humana, as mudanças provocadas pelas ações dos personagens  (individual e coletivamente). Jardel Amaral usa em sua narrativa a própria história contada para a reflexão do leitor, por meio das ações praticadas pelos atores.

Vale lembrar ao leitor que o livro é baseado em seqüestros de aviões ocorridos na ditadura brasileira, mas que, no entanto, trata-se de obra ficcional, embora suscite o leitor a pensar a história de seu país.

A visão da ditadura e a abordagem política não são o fim do livro em si, embora (e muito bem empregado) o contexto do cenário traga a cena o ponto central, e que, de certo desperta quem lê a refletir sobre os dois lados da atuação política daquele período.

Uma revolução que parece um sonho, um crime para justificar uma causa de poucos ou a defesa de si em nome da coletividade?  Uma ditadura que criminaliza pensamento e liberdade de expressão, uma visão tosca sobre o desenvolvimento de um país ou demonstração de força e poder que subjuga as vozes discordantes? Nesse emaranhado da política e da ideologia, o sequestro se faz e relações são constituídas afetando a vida de quem passou por aquele avião  (seja como vítima, como algoz ou como mero espectador).

Sobre o autor

Jardel do Amaral Júnior é médico e escritor, pai de dois filhos, residente na cidade do Rio de Janeiro, autor de três romances (Aconteceu em Monte Castelo, Com Meu Pai e Mudança de Rota) e um livro de contos (A Primeira Vez e Outros Contos). Os contos foram publicados na internet e em duas revistas literárias. Exerce medicina há mais de vinte anos.

Ficha Técnica
Título: Mudança de Rota
Escritor: Jardel Amaral
Editora: Autografia
Edição: 1ª
ISBN: 978-85-5526-122-0
Número de Páginas: 159
Ano: 2015 
Assunto: Literatura brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.