Assim Mataram Adônis - Sarah Caudwell



Júlia Larwood é advogada e vai passar férias em Veneza em busca de passeios culturais e artísticos. Ela vai integrar um grupo chamado “Amantes da Arte”, que são turistas levados por uma agência, que oferece um pacote de viagem, que prevê um roteiro de arte e cultura.

Além da viagem propriamente dita, a advogada pretende também exercer o seu poder de sedução, inspirada numa leitura que fez do poema “Vênus e Adônis”, de William Shakespeare. 

Pouco tempo depois os advogados que trabalham com Júlia, no escritório localizado em Londres, recebem a desagradável notícia de que a mulher fora presa pela polícia. O que teria ela feito durante a viagem? A acusação que recai sobre Júlia é o assassinato de Ned (o homem por quem ela viria a se encantar durante seu passeio).

Os fatos que se sucedem com a advogada em Veneza durante são contados ao leitor por meio de cartas que ela envia a uma das amigas, que por sua vez lê as epístolas para os outros companheiros de escritório. Eles, juntos, analisam os fatos e expõe suas deduções a partir do relato de Júlia.

Há um jogo interessante na narrativa, dada a intervenção dos personagens nos acontecimentos descritos por Júlia, que podem ou poderiam ser analisados sob vários pontos de vista. E cada um deles tem uma forma de interpretar os fatos que são apresentados, mas em consenso vão fechando as ideias que tem. O leitor vai se envolvendo na medida em que o mistério aumenta. O fato de os personagens dialogarem de maneira clara facilita em muito o entendimento e dá fluidez à narrativa.

Pelas cartas que apresentam os fatos e pelas deduções dos advogados, vamos descortinando as personalidades dos viajantes que poderiam também ser suspeitos do crime, bem como de todos os outros personagens. Júlia é uma mulher interessante. É culta, mas atrapalhada, sonhadora, desastrada, apaixonada, mas também cheia de medos e inseguranças. As características são descritas pelas situações que vive na viagem. Será ela de fato a pessoa responsável pela morte de Ned (o seu Adônis)?

Há uma reviravolta na história a partir da percepção de Hilary (a amiga que lê as cartas) e narradora da história. Muitos outros mistérios existem por traz da morte daquele homem.

Sarah Caudwell é o pseudônimo de Sarah Cockbum, escritora de romances policiais que tem como característica escrever histórias de casos que trazem advogados especializados atuando como detetives. Seu estilo tem todos os elementos necessários para uma boa história policial e tem uma narrativa fluída e coesa.

Foi um livro adquirido sem grandes pretensões, mas que havia me chamado a atenção pela sinopse. Tornou-se uma agradável surpresa pela trama, pela composição da história e pelos personagens (sobretudo a atrapalhada Júlia).  É um bom livro. Vai agradar muito os leitores que gostam do estilo de John Grisham.

Ficha Técnica
Título: Assim Mataram Adônis
Escritor: Sarah Caudwell
Editora: Tordesilhas
ISBN: 978-85-64406-11-7
Edição: 1ª
Número de Páginas: 285
Ano: 2011
Assunto: Ficçao inglesa

Um comentário:

  1. Eu não estou achando assim tão simples e coeso... pelo contrário. As vezes acho super simples com as piadinhas e em outros momentos, extremamente formais. Estou na metade... procurei uma resenha no google e caí aqui :) Ainda bem... Bom, pelo jeito vou gostar dele até o final. Estou curtindo. Acabarei logo.
    Adorei a resenha!!

    Bjkssss

    Lelê

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário.