Elevador 16 - As Crônicas dos Mortos - Rodrigo de Oliveira

Histórias de zumbis sempre exercem fascínio para quem gosta do gênero de terror. Homens e mulheres que são infectados por seres mortos-vivos que só querem devorar seres humanos. Com andar trôpego, roupas sujas e rasgadas, marcas de sangue e ferimentos pelo corpo, os zumbis são de arrepiar.

Em “Elevador 16 – As Crônicas dos Mortos”, do escritor paulistano Rodrigo de Oliveira, publicado pela Faro Editorial em 2015, temos uma história eletrizante que aborda o tema zumbi. Trata-se de um conto que faz parte de uma série de livros do autor.

No dia em que Absinto, um planeta recém descoberto e com tamanho vinte vezes maior que a Terra, se aproxima de nosso planeta, são aguardadas coisas estranhas. E fatos nebulosos acontecem. Um grupo de colegas de trabalho se vê preso no elevador e alguns deles, após um “apagão” apresentam um aspecto diferenciado de alguém que esteja vivo, eles tornam-se zumbis. A partir daí uma perseguição aterrorizante tem início.

O ritmo da narrativa de Rodrigo é admirável e o livro pode ser lido num único sopro. Mesmo porque prende a atenção do leitor. Além de ter poucas páginas (60 no total), a história em si é empolgante e certamente agrada aos leitores do gênero terror/suspense.

Foi um livro que me surpreendeu pelo ritmo, pelas nuances e pelo clímax, que nos coloca no tempo e na forma como os personagens tentam se safar dos zumbis que os seguem. Mesmo o leitor que, desavisado, vier a ler por curiosidade, tenho certeza de que será absorvido pela história. Se pelo conto já é possível sentir todo o cenário, acredito que valerá a pena ler também os livros que compõe a série.

O cenário, o frenesi da fulga, o temor que assola os personagens e o pavor que vai aos poucos tomando conta de todos, na medida em que se dão conta do que estão vivendo, é altamente apocalíptico.

Leitura pra arrepiar!

Ficha Técnica
Título: Elevador 16 As Crônicas dos Mortos
Escritor: Rodrigo de Oliveira
Editora: Faro Editorial
ISBN: 978-85-62409-45-5
Edição: 1ª
Número de Páginas: 60
Ano: 2015
Assunto: Ficção brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.