Laranja Mecânica - Anthony Burgess


“Laranja Mecânica”, de Anthony Burgess foi publicado pela primeira vez em 1962. Marco da literatura distópica é narrado pelo personagem Alex, um jovem que lidera uma gangue de outros jovens que comete atos de violência e barbaridade na cidade em que habitam.

O modo violento empregado por Alex contra suas vítimas e a reincidência em delitos, acabam por levá-lo a um tribunal que o condena. Alex, então, é recolhido ao sistema de encarceramento que o afasta da sociedade. O jovem tem como desejo voltar às ruas. Um experimento que vem sendo testado pode ser a sua saída. E então, ele se submete ao sistema empregado por homens que querem transformar  pessoas que cometem atos ruins em pessoas boas.

Submetido ao método, que mexe com seu corpo e mente, ele volta ao convívio social. Paira a dúvida se de fato os homens querem a reabilitação social de Alex ou querem fazer disso um show para a sociedade. Querem recuperá-lo? Querem apresentar alguma resposta aos questionamentos contra a violência? Querem apresentar algum mote para manter-se no poder?

O livro de Burgess trata de temas atemporais, como a violência, a interferência na vida de jovens, o papel do Estado na vida do indivíduo. Assuntos que eram discutidos na década de 60 e que continuarão sendo discutidos hoje e amanhã.

“Transformar um jovem decente em uma coisa mecânica não deveria, certamente, ser encarado como triunfo para nenhum governo, a não ser aquele que se gabe de sua capacidade de repressão.”

O autor criou para Alex um dialeto. Por meio de palavras de difícil compreensão nós temos um choque com a realidade daquele jovem. As palavras, no início, dificultam o entendimento de certas passagens, mas ao longo do texto se tornam familiares. No contexto vão nos dando a exata dimensão de seu significado.

Na edição da Editora Aleph, publicada em 2014, há um glossário ao final do livro. Importante mencionar que as explicações dos vocábulos não existiam na obra original de Burgess. E, por isso, seguindo a recomendação dada no “aviso ao leitor” sugiro que façam a leitura sem tomar contato com o glossário. Isso permite ao leitor que tenha a vivência de quem leu a obra pela primeira vez. O estranhamento causado pelos termos faz parte do processo do livro e o torna ainda mais interessante.

É um livro que já teve versão cinematográfica de grande sucesso, dirigido em 1971 por Stanley Kubrick. O livro é digno do título de marco da literatura e sua estranheza é uma das qualidades. A crítica que há por traz da história apresentada, bem como a discussão que paira sobre a violência, o Estado e a juventude o torna perene. 

Ficha Técnica

Título: Laranja Mecânica

Escritor: Anthony Burgess

Editora: Aleph

ISBN: 978-85-7657-003-5

Edição: 1ª

Número de Páginas:200

Ano: 2014

Assunto: Ficção inglesa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.