Somos Todos Canalhas - Clóvis de Barros Filho e Júlio Pompeu


Uma sociedade em constante transformação, que vive seus dilemas e seus conflitos. Em meio a tantas escolhas que devem ser feitas, todo dia, todo instante, o valor aparece para ser discutido. De maneira direta ou indireta, a sociedade busca valores para estabelecer suas decisões. O valor é uma questão que inquieta o homem desde há muito, veja-se, por exemplo, as discussões sobre o tema que vem da Grécia Antiga (nos tempos de Platão e Sócrates).


Palavra que deriva para uma série de teorias, o valor é o centro da abordagem apresentada por dois filósofos brasileiros: Clóvis de Barros Filho e Júlio Pompeu. Em “Somos Todos Canalhas”, publicado pela Editora Casa da Palavra em 2015, os autores nos brindam com um diálogo (forma utilizada pelos filósofos para discursar sobre os questionamentos da vida).

O leitor terá contato com as explanações que passam pelo pensamento grego, pelo pensamento cristão e de Immanuel Kant, pela visão utilitarista e valores exemplificados como a fidelidade e a tolerância, que estão na última parte do livro. Em meio a conceitos, exemplos, teorias de filósofos e de pensamentos de uma época, observações práticas, somos envolvidos por uma conversa agradável.

O tema poderia ser exaustivo, dado que cada um constrói a sua interpretação e sua definição de valor, mas se revela, no mínimo, provocador. Clóvis e Júlio dividem conosco o conhecimento que tem sobre o assunto, numa verdadeira aula de filosofia. E cabe bem frisar a palavra: filosofia. Os autores, inclusive, ressaltam na apresentação do livro que trata-se de um exemplar cuja classificação é filosófica, nada tem de auto-ajuda (embora possa ter quem assim classifique).

Concordemos ou não com as teorias apresentadas, o objetivo de discutir o tema, que se revela tão necessário em tempos em que a canalhice impera, foi alcançado com louvor. O título é uma provocação que nos faz parar para pensar sobre a ética que temos no convívio com outras pessoas, nas ações que tomamos e sobre a ética. Somos todos parece nos colocar num único balaio em que impera a igualdade. Será? A valoração é diferente para cada indivíduo. Leia, e vale a pena compreender. Temos mesmo que tomar uma ação ou uma decisão, melhor expondo. A canalhice está aí, a solta, vivendo ao nosso redor e vivendo em nós.
 
Ficha Técnica
Título: Somos Todos Canalhas
Autor: Clóvis de Barros Filho e Júlio Pompeu
Editora:Casa da Palavra
ISBN: 978-85-7734-528-1
Edição: 1ª
Ano: 2015
Número de Páginas:304
Assunto: Filosofia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.