O Réu e o Rei - Paulo César de Araújo

Li várias opiniões sobre a tão polêmica biografia não autorizada. De um lado aqueles que defendiam veementemente o direito de terem suas vidas resguardadas, mesmo tendo vivido explicitamente em um cenário de extrema exposição (como atores e cantores, que tem sua vida exposta diariamente e que, por vezes, usam dessa exposição para angariar mais trabalho). Do outro lado aqueles que defendem o fato de que podem contar histórias, mesmo que seja sobre a vida e/ou intimidade de outrem.

Não vou entrar na polêmica com comentários contra ou a favor de biografias não autorizadas. Quero dizer que foi em meio a esse cenário que assisti uma entrevista de Paulo César Araújo, autor da biografia proibida do cantor e compositor Roberto Carlos. Ao ver Paulo falar sobre sua obra e sobre o tema, fiquei impressionado com a forma carinhosa com que ele falava de Roberto Carlos, que naquele momento o processava e pela maneira consistente com que argumentava. Não faltava-lhe bom senso em suas colocações bem articuladas e na maneira didática que as expunha. Inteligente esse jornalista, eu disse. E fui então conhecer mais de Paulo César.

Agora leio "O Réu e o Rei", publicado pela Companhia das Letras em 2014 (521 páginas). Por meio desse livro podemos conhecer a história dos bastidores da construção da biografia que foi recolhida e censurada. Paulo César empreendeu anos de pesquisa, dedicação, trabalho e investimento para contar a história de um ídolo da música brasileira e colocá-lo na História concretamente (com fatos sobre sua trajetória musicial gravadas eternamente por meio impresso), mas por infelicidade, a obra não pode ser publicada e chegar aos milhares de fãs de Roberto Carlos. Por infelicidade não, por obra do próprio biografado que, por vias legais, conseguiu impedir a circulação daquele livro que chamava-se "Roberto Carlos em Detalhes" (Planeta, 2006).

Interessante conhecer o contato que Paulo teve na infância com o cantor por meio de suas músicas, suas aventuras para conseguir uma entrevista com Roberto Carlos, as entrevistas que fez com várias pessoas que tem ou tiveram ligação com o músico, seu conhecimento sobre o cantor e sua obstinação em escrever um livro sobre a trajetória de um nome importante para a música brasileira que não tem nenhuma obra sobre a sua obra.

O livro é bem escrito, de leitura agradável e apresenta um Paulo César historiador contando sua própria história. Traça um panorama de sua jornada para completar o livro que foi proibido e tudo que aconteceu durante o processo que recebeu, incluindo o julgamento. Detalhes que talvez ficassem guardados se não tivesse a ousadia de contar sua própria vivência, a qual ninguém pode proibir.

É um livro interessante, inclusive pelo panorama da música, além da real história contada por Paulo César. Minha admiração pelo autor só aumentou. Em relação ao biografado do livro que foi proibido, Roberto Carlos, minhas impressões apenas se ratificaram. Admiro Roberto Carlos como compositor e reconheço sua importância para música brasileira, assim como reconheço sua forma contraditória entre o que diz  e prega com a maneira como age. Coisas bem distintas.

Não é evidente, mas fica uma questão: vale tudo pelo dinheiro? Roberto Carlos parece mercantilizar tudo: suas músicas, suas aparições, suas ações. Paulo César, no entanto, demonstra-se ainda depois de tudo que passou uma admiração de fã número um do cantor/compositor. Tenho certeza absoluta, mesmo sem ler, que a biografia que foi retirada de circulação, seria uma grande homenagem a Roberto Carlos, dada a sensibilidade e sensatez demonstrada por Paulo César de Araújo.



Ficha Técnica
Título: O Réu e o Rei
Autor: Paulo César de Araújo
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 978-85-359-2443-5
Edição: 1ª
Ano: 2014
Número de Páginas: 521
Assunto: Autobiografia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.