Dias Perfeitos - Raphael Montes

Segundo livro do escritor Raphael Montes, “Dias Perfeitos”, lançado pela Companhia das Letras em 2014 (274 páginas), conta a história do controverso casal Téo e Clarice.

Ele é estudante de Medicina e demonstra características típicas de um sociopata: frieza, ausência de culpa ou remorso, atitudes violentas que são mascaradas por uma aparente correção de personalidade. Téo cuida de sua mãe cadeirante, que tem um cachorro chamado Sansão e o rapaz tem afeição por um cadáver que usa na aula de anatomia a quem deu o nome de Gertrudes.

“Gertrudes era a  única pessoa de quem Téo gostava. Desde o primeiro momento, ele soube que os encontros com ela seriam inesquecíveis.” É com esses dizeres que começamos a história narrada no livro.

Clarice, a menina por quem Téo nutre certa paixão é uma jovem que está escrevendo um roteiro de um filme. Esse roteiro dá nome ao livro: Dias Perfeitos. O roteiro tratará a história de três amigas que serão conduzidas por um estrangeiro desconhecido numa viagem.

Quando Clarice cruza com Téo, ele se sente apaixonado por aquela garota. Resolve então embarcar com ela numa viagem louca, que os colocará num relacionamento de certo modo conturbado. A moça será submetida a crueldade de Téo. Crueldade e violência que para ele está justificada no amor que sente. Como se tudo que fizesse de mal a ela fosse para ter a certeza de que o amor dos dois duraria. Ela tem de depender dele, ela tem de estar com ele, ele tem de ter poder sobre a vida dela.

Trata-se de um livro com uma história psicologicamente eletrizante, com o cerne da narrativa concentrado nos dois personagens centrais, sem histórias paralelas que ficam rondando o leitor. Cruel, violento, sinistro e surpreendente. Esses são os adjetivos iniciais que anotei quando da conclusão da leitura do livro.

O metódico Téo é frio, perverso, mas apaixonado. O limite entre a loucura e a razão existentes no que se chama de amor, pode ser levado às últimas conseqüências. O personagem é um típico psicopata, tanto que pode ser capaz de mentir descaradamente e engendrar até mesmo o leitor com suas ações mascaradas. Nos leva à linha tênue entre gostar da complexidade e da sua personalidade diferente e do asco por suas ações cruéis e desmedidas.

Em meio à essa história há certa bizarrice, com nomes de lugares, personagens intrigantes e bastante ironia. Os diálogos são velozes e bem montados, o que torna a leitura agradável, sem lacunas, sem nuances que nos distanciam do que está sendo contado. Raphael Montes demonstra mais uma vez o domínio sobre sua narrativa. “Dias Perfeitos” foi tão instigante quando o primeiro livro do autor, “Suicidas”.

Ficha Técnica
Título: Dias Perfeitos
Escritor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 978-85-359-2401-5
Edição: 1ª
Ano: 2014
Número de Páginas: 274
Assunto: Ficção brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.