Como falar com um viúvo - Jonathan Tropper

Doug Parker é um homem de 29 anos, que tornou-se viúvo. De luto, ele tem um enteado (Russ), adolescente e cheio de problemas de comportamento. Sua irmã gêmea, Claire, está em processo de separação e ficou grávida. Sua irmã mais nova vai casar com um homem que ele não gosta e que conheceu no dia da morte de sua esposa. Seu pai sofreu um acidente vascular cerebral e não lembra de muita coisa.  Sua mãe vive como se estivesse num palco. Sua vizinha o seduz. Um editor quer que ele escreva um livro a partir de uma coluna que tem no jornal falando sobre sua viuvez e seu luto. Coelhos ficam pelo jardim da casa, e ele os detesta.

O livo de Jonhathan Tropper, “Como Falar com um Viúvo”, publicado em  2010 pela Editora Sextante, conta em suas 270 páginas a história inusitada desse viúvo. Todos que o cercam querem que ele saia do luto, até pelo fato de já ter decorrido um ano. 

“(...) Acontece que as pessoas se tornam possessivas em relação à própria dor, quase orgulhosas. Querem acreditar que a dor delas é diferente da dor dos outros. Mas, na realidade, é exatamente igual.”

Doug não quer se forçar a nada, quer viver o momento com as lembranças ao lado de sua amada. Ele ainda lembra o tempo todo de Hailey, que morreu num trágico acidente de avião. Para curar a ferida ele escreve uma coluna que leva o título do livro. Doug relata suas dificuldades com a perda e vira sucesso.

Vivendo momentos em que tem que agir como pai (padrasto) de Russ, receber sua irmã em casa e lidar com alguns relacionamentos que tem com algumas mulheres e outros divertidos e desastrosos encontros e desencontros, ele se vê filosofando sobre tudo que vive e viveu. Mas sobretudo, Doug é levado a viver (de novo). Mesmo sem querer embarcar na superação de seu luto, com o tempo passando e as inusitadas histórias que vai vivendo ele se vê, indiretamente, superando a morte. Tudo acontece sem planejamento, sem direção, sem sonhos, já que sua vida escapa de seu controle.

“(...) Mais dia, menos dia, a vida joga todos no chão. Depois nos levantamos de novo e fazemos algumas mudanças, porque é assim que agimos. Nós nos adaptamos. E, quando conseguimos nos adaptar, ficamos mais preparados para sobreviver.”

A história é engraçada, com passagens inusitadas de episódios familiares, com diálogos irônicos e mordazes. Apesar da irreverência traz mensagem sobre superação e amor.

Comprei o livro sem muita expectativa. Não tratava-se de um título renomado ou bastante falado, não conhecia o autor, mas estava num bom preço e o título me pareceu cômico, e chamou a ateção. Li a sinopse e achei interessante. Dei a chance ao livro, e a mim, comprei e gostei da trama. É divertido, inusitado e inteligente.

Boa leitura!

Ficha Técnica
Título: Como falar com um viúvo
Escritor: Jonathan Tropper
Editora: Sextante
ISBN: 978-85-99296-2
Edição: 1ª
Ano: 2010
Número de Páginas: 270
Assunto: Ficção americana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.