Não conte a ninguém - Harlan Coben

Harlan Coben é um escritor americano que vendeu mais de cinqüenta milhões de livros em todo o mundo. O primeiro contato que tive com a obra do escritor foi ao adquirir e ler “Confie em mim”, que me cativou. Na sequência li “Desparecido para sempre” e “Não conte a ninguém” foi o terceiro título que li do autor.

O médico David Beck e sua esposa comemoravam o aniversário de seu primeiro beijo, como faziam todos os anos. Os dois foram surpreendidos e atacados. Elizabeth fora raptada e assassinada por um assassino em série, KillRoy. David foi golpeado na cabeça com um taco de beisebol, perdeu o sentido e caiu no lago.

“O pânico aflorou. Pulei da balsa e nadei em direção ao píer. Mas minhas braçadas faziam um barulho terrível em meus ouvidos. Eu não conseguia ouvir o que estava acontecendo – se é que algo estava acontecendo.”

A história do crime ocorrido à oito anos volta a tona em decorrência do encontro de dois corpos. Ambos estavam enterrados num local próximo ao do assassinato de Elizabeth e, junto aos corpos, foi encontrado ainda um taco de beisebol com sangue do mesmo tipo do de David. Enquanto  isso Beck recebe um e-mail com uma mensagem em código. Algo o leva a pensar que a mensagem só poderia ter sido enviada por Elizabeth.

“(...) no rodapé da tela, mais seis palavras.
Estão observando. Não conte a ninguém.”

As referências mencionadas nesse e-mail e em outras mensagens que se seguiram levam o médico a crer que Elizabeth está viva, pois só o casal conhecia tais detalhes.

Embora o serial killer esteja preso pela morte de Elizabeth e de suas outras vítimas, David Beck agora torna-se suspeito de ter matado a própria esposa. O FBI o monitora. Além da polícia ele passa a ser caçado por um assassino de aluguel.

Para Beck desvendar a intrigante dúvida que paira sobre os acontecimentos acerca da morte de sua esposa, ele conta apenas com ajuda de sua melhor amiga Shauna, de uma advogada renovada chamada Hester Crimstein e de um traficante de drogas. Outros crimes e criminosos cruzarão o caminho de David Beck em dura jornada pela verdade. Ele será capaz de provar sua inocência?

As suspeitas de que Elizabeth está viva deixam Beck atordoado. Como justificar que ela está viva se seu pai reconheceu o cadáver? Como foi que ele conseguiu escapar vivo se havia levado uma forte pancada que o deixou sem sentidos? Se ela estava viva, por que demorou oito anos para fazer contato? Se ela estava morta, por que querem acusá-lo se o assassino já foi condenado? Quem está por traz das mensagens que recebe? Por que pediram para não contar a ninguém?

“Eis a verdade sobre as tragédias: elas fazem bem à alma.” É com essa frase que o médico abre um dos capítulos, o que demonstra que apesar de todos os obstáculos e obscuridades que se colocam diante dele, ele se vê melhorando, aprendendo, se tornando um ser humano melhor. Beck certamente não há de se render diante dos fatos que se apresentam diante dele. E as revelações podem ser chocantes.

“Não conte a ninguém” é um livro que nos prende. Os conflitos vividos pelo personagem central, o suspense criado por Coben, os mistérios e segredos que vão surgindo e se revelando ao longo da narrativa, além dos crimes que se sobrepõe ao crime principal, criam um ambiente de suspense perfeito.

Não é a toa que o livro foi bastante aclamado em 2001 tendo sido indicado para vários prêmios. Até a produção cinematográfica francesa inspirada no livro foi vencedora de quatro Cesars (o Oscar francês). Sem dúvida, a publicação da Editora Arqueiro só reforça o fato de que Harlan Coben é um grande escritor. Coben entrou para a minha lista de escritores favoritos.

Ficha Técnica
Título: Não conte a ninguém
Escritor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
ISBN:978-85-8041-079-2
Edição: 1ª
Ano: 2014
Número de Páginas: 240
Assunto: Ficção Americana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.