O Ano da Leitura Mágica - Nina Sankovitch

"Precisamos de livros que nos afetem como um desastre, que nos deixem profundamente tristes como se alguém tivesse morrido, alguém que amássemos mais do que a nós mesmos, como se nos perdêssemos de todos numa floresta, como um suicídio. Um livro tem de ser uma rachadura no oceano congelado que temos dentro de nós." 
Franz Kafka, Carta para Oskar Pollak, 27 de janeiro de 1904

Nina sempre tivera o hábito da leitura. Desde a infância ela e suas irmãs tiveram contato com o universo literário. De uma família de imigrantes, os livros serviam para manter os laços. Sua mãe e seu pai tinham o hábito da leitura, que fora transmitido às filhas (não como uma imposição, mas pelo exemplo). Nina revela que eles (os livros) “estavam presentes em todos os cômodos e eram lidos” pelos pais para eles mesmos ou para as filhas.

Aos 46 anos de idade a irmã de Nina faleceu em decorrência de câncer. E foi nos livros que ela buscou o conforto para sua desolação. Enquanto a irmã estava no hospital, Nina levava obras para que ela lesse e assim tornasse o período de internação e a doença mais leves, menos dolorosos.

O desafio de Nina foi ler um livro por dia, durante um ano, totalizando, portanto, 365 livros lidos. Em sua poltrona roxa restaurada e quase totalmente limpa, ela embarca nessa jornada literária.

“O Ano da Leitura Mágica”, publicado pela Editora Leya em 2011, conta em suas 232 páginas a expedição de Nina pelas páginas dos livros. A história de vida família também é contada, sem apego à cronologia. Enquanto a autora relata os momentos vividos com sua irmã, seu marido, seus filhos e seus pais, aparecem referências dos livros.

Autores, personagens, citações que inspiraram Nina durante sua incursão à leitura são mencionados. Interessante observar como a literatura foi capaz de apaziguar o coração de Nina, de fazê-la perceber o mundo real de maneira diferente. Um novo olhar.

Ainda que os livros, por vezes, transformem-se numa objeto de fuga da realidade, eles podem nos trazer a compreensão sobre o que vivemos, porque vivemos e para que vivemos. O livro é um relato pessoal da experiência de Nina. Revela sua compreensão do mundo e o afago, o alento, o conforto, que encontrou em páginas escritas por diversos autores dos mais variados gêneros.
“(...)Durante anos, os livros abriram uma janela pela qual eu podia ver como as outras pessoas lidavam com a vida, suas tristezas, alegrias, monotonias e frustrações. Eu os usaria novamente para buscar empatia, orientação, amizade e experiência. Os livros me dariam tudo isso e muito mais.”
Além da leitura dos livros, Nina publicava resenhas em seu blog. A convivência com os livros tornou-se uma rotina durante aquele ano, e sua vida pessoal foi se adaptando ao cenário. Questões que a inquietavam, lições de vida, palavras de ânimo podiam ser lidas por meio dos personagens.
“(...) Porque as palavras são testemunhas da vida: elas registram o que aconteceu e tornam tudo verdade. Palavras criam histórias que se transformam em histórias inesquecíveis. Mesmo a ficção retrata a verdade: boa ficção é a verdade. Histórias sobre as vidas relembradas nos levam para o passado ao mesmo tempo em que nos permitem seguirmos em frente.”
Trata-se de um livro apaixonante para os bibliófilos que, com certeza, em um ou outro momento se reconhecerão, ainda que seja pelo simples fato de gostar de livros. 


Ficha Técnica
Título: O Ano da Leitura Mágica
Escritora: Nina Sankovitch
Editora: Leya
ISBN: 978-85-8044-265-6
Edição: 1ª
Ano: 2011
Número de Páginas: 232
Assunto: Livros e leitura

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.