Heresia - S. J. Parris

Em “Heresia”, de S. J. Parris, lançado pela Editora Arqueiro em 2011, Filippo Bruno, que adotara o nome monástico de Giordano Bruno de Nola foge do mosteiro. O motivo de sua fuga: seria acusado de heresia e interrogado pelo padre inquisidor. Suspeita que aos olhos dos monges havia se confirmado quando Bruno foi pego na latrina com o exemplar de um livro constante da lista de proibições de leitura da igreja. Foi excomungado e exilado pelo simples fato de ser um estudioso e amante do saber.

Giordano Bruno é contratado para investigar uma provável conspiração que tinha por objetivo derrubar a protestante Rainha Elizabeth. Em meio ao conflito religioso que se instala entre católicos e protestantes ele é enviado a Oxford com a missão de espionar e descobrir informações sobre a conspiração. A ida até lá torna-se interessante, na medida que também poderia auxiliá-lo numa busca particular: quer encontrar um livro  cujo autor afirma que compreendeu a mente divina.

O filósofo, escritor, cientista e estudioso tem sua visão pessoal em que acredita que o Universo é infinito e, “sendo assim por que não seria povoado por outras Terras, outros mundos e seres como nós?” Giordano é um dos homens que acredita na teoria de Copérnico, enquanto outros tantos em Oxford são contrários a esse pensamento, incluindo o diretor da instituição. Por vezes, sua fé e sua crença é confrontada por um ou outro personagem.

“(...) Na verdade, porém, não penso em mim como católico, nem protestante, termos que me parecem restritos demais. Eu creio numa verdade maior.” Tal declaração é dada por Giordano Bruno num dos diálogos em que é questionado sobre sua posição religiosa. O filósofo parece um homem a frente de seu tempo.

Antes de um debate que haveria entre Bruno e o diretor Undershill, Roger Mercer morre após ser violentamente atacado por um cão de caça. O que parece um mero acidente pode não ser bem assim. Bruno acredita que alguém matou Roger. Por qual motivo? Quem estaria por trás dessa morte terrível? Seriam suas convicções religiosas que o teriam colocado em perigo?

Ele então começa a fazer investigações que possam levá-lo a quem teria interesse em silenciar Roger Mercer e esbarra com homens de confiança do diretor, mas que escondem segredos. Um deles poderia ser o criminoso? Nesse turbilhão de aventuras por Oxford, dois outros homens são assassinados, o que levanta ainda mais suspeita de que o primeiro caso fora realmente um assassinato. Bruno acredita então que os casos estão interligados. E continua sua investigação particular.


Algumas pistas sobre o motivo do crime são deixadas para Bruno. Quem quer que tenha cometido o crime parecia querer ser encontrado. Recortes de livros com citações, marcas na parede da biblioteca, quartos revirados, mortes violentas, chaves que são utilizadas sem autorização, homens misteriosos que parecem sondá-lo e a filha do diretor, Sophia, parecem fazer parte de um quebra-cabeça.

Religião, crença, cultura, preconceitos são postos diante de homens tidos como sábios e que possuem aparente reputação ilibada. No entanto, no meio deles, há alguém que é capaz de matar para manter sua crença. Os homens sábios parecem não conseguir diferenciar os acontecimentos reais da prática de heresia.

É um suspense histórico repleto de informações sobre os pensamentos religiosos do século XVI em suas 368 páginas e surpreende o leitor. Os personagens tem personalidade forte e alguns apresentam certa dubiedade em relação a seu caráter, deixando o leitor intrigado em relação a sua conduta. Fator que surpreendera o próprio personagem central do livro na história de mistérios que ele busca revelar. Livro altamente recomendado em função de sua trama bem arquitetada, da narrativa coesa e dos intrigantes pontos que são levantados ao londo da história ficcional.

Ficha Técnica
Título: Heresia
Escritora: S. J. Parris
Editora: Arqueiro
Edição: 1ª
ISBN:978-85-8041-002-0
Ano: 2011
Número de Páginas: 368
Assunto: Romance Inglês

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.